Menu e Galeria de Posts Recentes

Image Map

terça-feira, 10 de maio de 2016

RESENHA: A SELEÇÃO - KIERA CASS #1 Série A Seleção



Sinopse: Para trinta e cinco garotas, a Seleção é a chance de uma vida. Num futuro em que os Estados Unidos deram lugar ao Estado Americano da China e mais recentemente a Illéa, um país jovem com uma sociedade dividida em castas, a competição que reúne moças de dezesseis e vinte anos de todas as partes para decidir quem se casará com o príncipe é a oportunidade de escapar de uma realidade imposta a elas ainda no berço. É a chance de ser alçada de um mundo de possibilidades reduzidas para um mundo de vestidos deslumbrantes e joias valiosas. De morar em um palácio, conquistar o coração do belo príncipe Maxon e um dia ser a rainha. Para America Singer, no entanto, uma artista da casta Cinco, estar entre as Selecionadas é um pesadelo. Significa deixar para trás Aspen, o rapaz que realmente ama e que está uma casta abaixo dela. Significa abandonar sua família e seu lar para entrar em uma disputa ferrenha por uma coroa que ela não quer. E viver em um palácio sob a ameaça constante de ataques rebeldes. Então America conhece pessoalmente o príncipe. Bondoso, educado, engraçado e muito, muito charmoso, Maxon não é nada do que se poderia esperar. Eles formam uma aliança, e, aos poucos, America começa a refletir sobre tudo o que tinha planejado para si mesma e percebe que a vida com que sempre sonhou talvez não seja nada comparada ao futuro que ela nunca tinha ousado imaginar.

Antes de começar a ler achei que seria uma leitura infantil e com aqueles temas de sempre, mas me enganei. Achei a história muito viciante e na mesma hora que terminei de ler a última página já peguei o segundo livro para continuar a leitura.
Da Trilogia (ou não mais) A Seleção , o primeiro livro que dá nome a série é escrito em primeira pessoa, do ponto de vista de America Singer, e se passa no futuro em um novo país chamado Illéa (onde costumavam ser os Estados Unidos). A sociedade de Illéa é dividida em castas que vão de 1 a 8, sendo 1 a família real e 8 os "mendigos". Ela é apaixonada por um jovem chamado Aspen, que é ainda mais pobre que ela, e passa um bom tempo fazendo planos para o futuro dos dois com direito a casamento e filhos. Infelizmente, tudo isso muda quando America é escolhida para A Seleção, uma competição onde 35 garotas tentam ganhar o coração do príncipe e se tornar a futura rainha.

A maioria dos fãs se divide entre Team Aspen e Team Maxon. Eu posso dizer que eu ainda estou em cima do muro e não me decidi para qual lado eu vou. Tanto Aspen quanto Maxon tem suas qualidades e seus defeitos. Não queria ser America neste momento! Eu gostei muito da personalidade do Maxon. Ele é sempre gentil, bondoso, divertido, e se mostra um ótimo amigo. Adorei o fato de ser a protagonista que abre os olhos dele para os problemas sociais dos quais ele nem ao menos sabia existir, e também é ela que faz o coração dele acelerar, além de que eles se dão muito bem e tem uma química natural. É ótimo o romance que está se desenvolvendo entre ele e America.Gostei muito de Aspen também, que tem um jeito doce e gentil, além de ser muito altruísta. As cenas entre ele e America são bem adoráveis embora água-com-açúcar. É interessante ver como eles sonham com um “felizes para sempre” juntos.
Apesar de gostar de um e de outro, ainda não me decidi qual lado escolher!  Em algum ponto cada um conseguiu me irritar de alguma maneira, e em outros conseguiram me conquistar.  
Mas digamos que até agora sou Team Aspen. Não sei se é pelo fato de que ele sabe como é a vida “lá fora” e o Maxon não, (por ser filhinho do rei mesmo que não tenha culpa disso) ou por já existir um romance legal entre os dois e eu não querer desapegar disso.
Mas a disputa entre as 35 garotas não é fácil, e mesmo com tudo acontecendo ali, America ainda tem que enfrentar as outras garotas e seguir em frente com o seu coração.

Minha opinião sobre a história de Cass passou a mudar totalmente, adorei a pitada de política e as críticas sociais que surgem. Ainda que essas questões não sejam abordadas de forma profunda, gostei bastante e a série ganhou muitos pontinhos a mais! Mas em sua maioria é um livro divertido, que me proporcionou boas risadas e me deixou com um sentimento de leveza, tranquilidade. 

Não vou contar mais da história porque não quero dar spoilers, mas adorei cada página do livro. Eu ria, ficava triste e queria certas vezes bater em um ou dois personagens por sua teimosia. America me conquistou desde a primeira página, sabendo balancear a dose certa de coragem e sarcasmo. Particularmente, adorei a sinceridade e autenticidade de America: "Eu não vou lutar. Meu plano é aproveitar a comida até me expulsarem." é minha frase preferida de definição da protagonista. A história, como um todo, foi um tanto previsível, sem reservar muitas surpresas, mas é fluida e muito envolvente. Não é à toa que terminei de lê-lo em menos de 24 horas rs

Melhores quotes do livro:


"E porque esse país é do jeito que é, por causa de todas as regras que nos faziam viver escondidos, nem pude gritar seu nome. Não pude dizer mais uma vez que o amava."


"Mas ninguém ama uma pessoa por dois anos e a esquece do dia para a noite."


"Um dia você vai dormir nos meus braços todas as noites. E acordar todas as manhãs com meus beijos. E algo mais."


"Pela minha experiência, posso dizer que o amor verdadeiro é sempre o mais inconveniente."


"Desde o primeiro momento em que o vi, eu o amei."


"Espero que encontre uma pessoa sem a qual não possa viver. E desejo que nunca precise saber como é tentar viver sem ela."


"Eu não sou sua querida!


"Você chamou todas de “minha querida”? - perguntei, voltando o rosto para o resto do salão. 

Sim, e todas parecem ter gostado.É exatamente por isso que eu não gostei."

"Estou aqui. E não estou lutando. Meu plano é aproveitar a comida até você me chutar."