Menu e Galeria de Posts Recentes

Image Map

domingo, 26 de fevereiro de 2017

RESENHA: O LADO FEIO DO AMOR - COLLEEN HOOVER





Sinopse: Quando Tate Collins se muda para o apartamento de seu irmão, Corbin, a fim de se dedicar ao mestrado em enfermagem, não imaginava conhecer o lado feio do amor. Um relacionamento onde companheirismo e cumplicidade não são prioridades. E o sexo parece ser o único objetivo. Mas Miles Archer, piloto de avião, vizinho e melhor amigo de Corbin, sabe ser persuasivo... apesar da armadura emocional que usa para esconder um passado de dor.
O que Miles e Tate sentem não é amor à primeira vista, mas uma atração incontrolável. Em pouco tempo não conseguem mais resistir e se entregam ao desejo. O rapaz impõe duas regras: sem perguntas sobre o passado e sem esperanças para o futuro. Será um relacionamento casual. Eles têm a sintonia perfeita. Tate prometeu não se apaixonar. Mas vai descobrir que nenhuma regra é capaz de controlar o amor e o desejo.


Tate é formada em enfermagem e está de mudança para morar com seu irmão Corbin Collins, em San Francisco, para começar um curso de especialização na área e quer ficar lá até conseguir um emprego.
Quando chega da viagem com suas coisas da mudança, ela se depara com um bêbado desmaiado em frente a porta de seu irmão bloqueando sua passagem.
Esse cara é Miles Archer, um dos melhores amigos de seu irmão, membro da mesma companhia aérea dele e o novo vizinho de Tate. Os membros de tal companhia moram todos no mesmo prédio, então Tate acaba conhecendo outros caras além do Miles. Depois da primeira impressão ruim, ela tem a oportunidade de conhecer o amigo de seu irmão devidamente e o acha um gato, porém, um pouco reservado e frio.
Apesar de tudo, ela nota com o tempo que ele também se sente atraído por ela e, um belo dia, eles não conseguem se controlar e acabam cedendo a irresistível atração. Como se não bastasse tentar entender as atitudes controvérsias deste homem, Tate aceita duas regras para que esse "relacionamento" dê certo: "Não pergunte sobre o meu passado. E nunca espere um futuro." 
Apesar de achar estranho, a protagonista passa o livro todo aceitando, mas aos poucos, acaba conhecendo mais sobre Miles. Ele é honesto sobre o relacionamento deles, apenas sexo, e evita quaisquer situações emotivas.

É muito legal ver, ao longo da leitura, como lentamente Tate se apaixona por Miles mesmo não tendo motivo real, digamos assim. Isso é real, ela sabe que no fundo existe uma parte do Miles que gosta dela. O grande problema é que ele não consegue desapegar do seu passado pois não soube superar e seguir em frente. É claro que os dois estão envolvidos, a diferença é que Miles luta contra nutrir sentimentos pela Tate enquanto ela apenas se deixa levar.

Os outros personagens são bem construídos. Gostei muito da relação do Corbin com o Miles e principalmente, do ascensorista Cap, um velhinho de uns 80 anos que trabalha no prédio e que se torna amigo/confidente da Tate.
O livro intercala as narrações entre Tate (no presente) e Miles (no passado a 6 anos atrás). É uma realidade totalmente diferente o Miles adolescente e o Miles adulto, então o leitor não entende o que de fato uma história tem a ver com a outra e quando irão se encaixar. 
No final do livro, a gente descobre o que de tão terrível acontece com ele que #respira você no chão. Ele é apaixonante em toda a sua complexidade.
Quando você acha que o motivo é x coisa ter dado errado, não é, porque essa x coisa dá certo. Pensei "ué, se isso deu certo, o que poderia acontecer de ruim então?" e foi assim que depois descobri que essa x coisa tinha sim como piorar. Chorei, e chorei bastante lendo porque doeu em mim. Assim pude entender o sofrimento do Miles e que realmente ele levaria aquilo pelo resto da vida. Embora eu tenha compreendido, não sei dizer se concordo como ele tratava a Tate, porque ás vezes, ele só a usava. O pior é que ela se sujeitava a ser usada por ele sem pestanejar, mesmo sabendo que está sendo usada e não quer mais só sexo, porque afinal se apaixonou por ele. Isso leva ao fato: também não sei se eu faria o mesmo que a Tate, mas admito que admirei a atitude dela de dar cara a tapa se arriscando, mesmo sabendo que não pode acabar bem, em tentar construir algo com Miles por enxergar uma pontinha de esperança de poder conquistá-lo. Ela se questiona a todo o tempo se deve continuar lutando por ele, mas ela luta ainda mais. E não, essa não é uma história sobre uma garota boba que acha que vai conseguir mudar o bad boy frio. Ela não é tola por realmente tentar ficar com ele, ela é corajosa. Colleen soube retratar isso muito bem. tem uma cena de sexo entre eles que foi de partir o coração. Sim, eu chorei lendo! Fique com vontade de abraçar a Tate e confortá-la...
Falando sobre as cenas de sexo: elas são quentes e sensuais, mas nada vulgares. Até porque não é um livro erótico, como muitos pensam, para ter cenas sexuais tão descritivas.

O único ponto negativo do livro é: o final da história é resolvido muito rapidamente. O problema existiu o livro inteiro, e no final, foi resolvido da noite para o dia. Acho que se tivesse durado alguns dias, teria sido mais aceitável.
Quando comecei a ler, não sabia que a autora escreveu poesias em alguns trechos da narrativa do protagonista masculino. Não gostei de imediato e achei meloso, mas depois acostumei e percebi que talvez fosse porque o Miles adolescente era mesmo muito meloso.

Já li duas vezes e aposto que chorarei uma terceira vez quando ler novamente!Colleen Hoover se tornou uma das minhas autoras favoritas com apenas um livro e me fez ficar admirada pela forma como escreve uma história tão real com tanto envolvimento e emoção! Fiquei louca para ler outros romances seus!

"O amor nem sempre é belo, Tate. Às vezes, você passa todo o seu tempo esperando que ele será, eventualmente, algo diferente. Algo melhor. Então, antes que você se dê conta, você está de volta ao ponto de partida, e você perdeu seu coração em algum lugar pelo caminho."



Não gostei muito do nome em português do livro e preferi o original em inglês Ugly Love. Embora "amor feio" ficaria pior do que "o lado feio do amor", não é?
A capa brasileira é simples, mas bonita. As gotas são em auto relevo e as páginas são brancas (o que não gostei muito). A arte da capa tem a ver com a história e só no final entendemos isso. Fiquei pensando que combina com a história do livro a parte superior da capa ser mais clara e a inferior ser escura. Como se você estivesse na escuridão do fundo do oceano, conhecendo apenas o lado feio do amor, e tivesse que subir lá para cima para conhecer a luz e o lado belo do amor. Achei essa sacada incrível e queria saber se isso foi proposital!

Há um tempo atrás, foi anunciado que O Lado Feio do Amor seria adaptado para o cinema e foi lançado um teaser apenas como degustação. Ou seja, não é assim que o filme será, até porque nem filmado está sendo.
O ator escalado para interpretar Miles Archer se chama Nick Bateman, conhecido por seu trabalho como modelo embora tenha feito algumas participações em filmes, e cody Hackman para interpretar Corbin Collins. Na vida real, os dois são grandes amigos.


Aprecie essa obra de arte chamada Nick Bateman!

A atriz para interpretar Tate Collins ainda não foi escalada, mas boatos que Nina Dobrev, Zoey Deutch, Marie Avgeropoulos e Lily Collins estão sendo cogitadas. 






























As filmagens e a divulgação da escolha da atriz seriam realizadas em maio, mas isso não aconteceu. Entretanto, o iMDb atualizou a data de estreia do filme para  7 de novembro de 2018. Então só nos resta esperar...